topo
 
 
 
 
1999 - Deixa a presidência nacional do PV. Assume a vice-presidência executiva da Fundação Ondazul. Reassume o mandato de vereador no Rio de Janeiro, aprova a criação das APAs da Capoeira Grande e do Morro do Silvério, na zona oeste. Lança o livro Ecologia Urbana e Poder Local.

1998 - É candidato a Presidência da República pelo Partido Verde (PV) com o objetivo de divulgar as propostas do partido.

1997 - Assume a secretaria executiva da Fundação Ondazul e seu processo de reorganização. Elabora o projeto do Parque Ecoturístico do Canion do São Francisco, na Bahia.

1996 - Deixa a secretaria, em abril, com uma aprovação de 87%, segundo pesquisa do IBOPE. Lança o livro Verde Carioca. Volta a Câmara mas perde as eleições, apesar de uma votação pessoal maior do que a grande maioria dos vereadores eleitos, por insuficiência de votos da coligação. Fica como primeiro-suplente.

1995 - Começa a construção física das ciclovias Mané Garrincha, Rubro Negra, Marechal Rondo, João Saldanha e Ayrton Senna, realiza onze obras de recuperação da rede da CEDAE no entorno da lagoa, com recursos da prefeitura, inicia o saneamento do Recreio dos Bandeirantes, implanta o Parque do Bosque da Freguesia, o Parque Marcelo de Ipanema e inicia a dragagem da lagoa do Camorim. Cria o CONSAG, Conselho das Águas da Baixada de Jacarepaguá. Integra a Comissão Executiva Internacional do ICLEI(International Council for Local Environmental Initiatives). Representa a cidade nas conferências de Berlim e Saitama. Amplia o mutirão de reflorestamento para 47 favelas

1994 - É finalmente votada a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMAC). É nomeado secretário municipal de meio ambiente. Desenvolve os mutirões de reflorestamento, inicia o projeto das Ciclovias Cariocas, inicia as ações do município no tocante às águas e esgotos com a criação do Consag (Conselho das Águas) da baixada de Jacarepaguá. (saiba mais)

1993 - É convidado pelo prefeito César Maia para criar a secretaria de meio ambiente da cidade. Assume o cargo de Secretário Extraordinário para o meio ambiente. Há forte resistência na Câmara contra a criação da Secretaria, a lei é rejeitada duas vezes.

1992 - Aprova a lei de incentivos fiscais para projetos eco-culturais, a chamada Lei Sirkis, que viabiliza o Forum Global 92 durante a conferência Rio 92. Participa da mobilização pelo impeachment de Collor. Preside a CPI de atividades irregulares de segurança, após o crime dos restaurantes Sagres e Alcazar. É reeleito vereador. Cria a APA das Brisas, na zona oeste.

1991 - Lidera a luta em defesa da Lagoa de Marapendi, ameaçada por um projetos de aumento de gabarito. Elabora o capítulo de meio ambiente do Plano Diretor Decenal. Obtém do prefeito Marcello Alencar a construção das ciclovias da orla marítima. Assume a Presidência Nacional do Partido Verde.

1990 - Aprova a APA da Prainha, impedindo a construção de 12 edifícios no local. Elabora o capítulo de meio ambiente da Lei Orgânica Municipal.